Casos de dengue em 2019 já superam epidemia de 2010

Os casos prováveis de dengue – que englobam os suspeitos e confirmados – em Minas Gerais neste ano já superam, no primeiro trimestre, o número de notificações da epidemia em igual período de 2010. Na época, de janeiro a março, a média de registros diário da doença era de 1.102,7. Em 2019, a média ficou de 1.219,6 a cada 24 horas. Minas Gerais está em alerta devido à proliferação da enfermidade tendo centenas de municípios com epidemia. Já foram confirmadas 14 mortes, sendo metade na Região Metropolitana de Belo Horizonte, e outras 48 estão em investigação. Já são mais de 121 mil notificações da enfermidade até ontem. A capital mineira é uma das cidades que vêm sentindo os efeitos das doenças transmitidas pelo Aedes aegypti. O prefeito Alexandre Kalil (PHS) afirmou, ontem, que, caso necessário, vai abrir postos de saúde nos fins de semana para atender os moradores infectados com a enfermidade. Também pediu ajuda à população para ‘tomar conta do vizinho’ e evitar os focos do mosquito.

A cada dia, a dengue toma rumos preocupantes em Minas Gerais. Até ontem, segundo o boletim epidemiológico divulgado pela Secretaria de Estado de Saúde (SES/MG), 121.699 casos prováveis foram registrados. Sendo, 109.769 entre janeiro e março. Os números no primeiro trimestre já ultrapassam as notificações no mesmo período de 2010, quando o território mineiro passava por uma epidemia. Na época, eram 99.249 registros. Os dados deste ano ainda ficam abaixo das duas últimas epidemias, de 2016 e 2013, as piores vividas no estado.

Somente em março, foram 58.616 casos prováveis no território mineiro. Os números foram superiores aos dois meses anteriores. Em janeiro foram 17.436 e fevereiro 33.717 registros. Em abril, pelo histórico da dengue, é o mês em que há um maior número de registros. Somente nesses 15 dias, foram 11.930 notificações. Nas últimas quatro semanas, 156 municípios mineiros passam por epidemias da doença. Destas, 99 estão com incidência muito alta de casos prováveis, e outras 57 com incidência alta. A situação pode piorar nas próximas semanas, pois ainda há 114 municípios com média incidência de dengue.

E a doença segue provocando mortes. Desde o início do ano, a dengue já matou 14 pessoas Minas Gerais. Metade delas aconteceu na Região Metropolitana de Belo Horizonte. Sendo que, somente Betim, teve seis óbitos. A outra na Grande BH foi em Ibirité. Também teve registro de duas mortes em Uberlândia, no Triângulo Mineiro, o mesmo número em Unaí, no Noroeste de Minas, uma em Arcos, na Região Centro-Oeste, outra Paracatu, Região Noroeste, uma em Frutal, no Triângulo.

A situação da dengue no estado preocupa as autoridades de saúde. Minas está em alerta desde o início do ano devido ao aumento da doença. A Secretaria de Estado de Saúde (SES/MG) deve publicar, nos próximos dias, um decreto de emergência com medidas para conter o mosquito Aedes aegypti.

 

 

FONTE: Informações SES/MG – uai.com.br

Compartilhe

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*